segunda-feira, 25 de julho de 2011

A praça (Uma só Arvore, Um só banco, um só)

-Era uma praça pequena e vazia, como todas as praças. O sol só vai de leste a oeste para iluminar toas as folhas daquela única e solitária árvore. E surge a sombra que repousa sobre o banco, ou melhor, o ponto de ônibus no qual estou sentado a esperar.

-Já teve a sensação de na ida, você viaja com umas pessoas, e na volta, as mesma estarem mais velhas?
-Já teve a impressão de ao fechar ou apenas picar os olhos por um segundo, ter sentido que já se passaram varias vidas inteiras?
O Sinal é pedido. O ônibus chega. O sol continua no seu árduo trabalho no horário comercial.
01/02/2010