segunda-feira, 25 de julho de 2011

LE SILENCE FAIR SA BRUIT II


As melhores coisas que se podem ser ditas ... são ditas no silencio...
Foi então que nossas nãos acostumadas se encontraram novamente...mas era a primeira vez naquele dia.. só para acrescentar, foi a noite..como são geralmente nossos secretos encontros...
Sentados e como livro na estante, você apoiou sua cabeça em meu peito... nesse instante um cheiro de cumplicidade transpira na sala...ninguém diz uma palavra...palavra para que? Para isso que existe a pausa psicológica.... RS... não para as pessoas engolirem as coisas, mas para elas tirarem o que elas quiserem do silêncio...a fonte? O coração...
Nos olhamos...
Nos olhos e...
No olhar,
Um sentimento.
...De desculpa de minha parte, não queria ter dito aquilo...aliás não quis...mas eu sou tão teimoso...
“..se desculpar pelo que?” (Nessas horas quem dizem foram suas sobrancelhas...)...
Fui Embora...mas Guardei um aviãozinho de papel, aqueles mesmo dos cafés e bares do centro...Fiquei-o fabricando enquanto discutíamos...você seriamente flava e mais uma asinha foi dobrada...foi meu jeito “ouvinte” de prestar atenção ...e você com seu jeito visual olhando para não sei aonde.....Terminou a conversa, .. e o aviãozinho... e para não jogarem no lixo, guardei em meu bolso...
Onde ele está agora?...Guardei,... ou melhor, Escondi... De tudo e de todos... Menos de mim... E das outras memórias simbólicas minhas.


05/07/2010