segunda-feira, 25 de julho de 2011

LE SILENCE FAIR SA BRUIT


No metrô...
As paisagens saem correndo pelo vidro...para onde elas vão?
Nossas mãos se encostam...eu aperto as suas...
as minhas tão frias como eu...
as tuas tão quentes, como você...
Me pergunto por que estou nesse carrossel sem cavalos.....Você inventa de falar sobre poesias. E então acha um erro gramatical do qual, nem notei afinal, o texto estava tão belo que nem me importei com aquilo...Mais uma estação...
-Vamos descer nessa?
-Vamos, por que não...
Na rua...
Andar a essas horas com rumo, mas por um caminho mais longo para ficarmos mais tempos juntos...”uhm...a Lua está nos perseguindo”...silencio...o relógio desceu um degrau...”eu amo um prédio cujo nome não sei”...”que prédio?” ....“já disse que não sei...”
...
-Você associa uma musica a um lugar?
-As vezes...
-Eu sempre... (fiquei esperando perguntar a musica que eu estava cantando no momento)
...
Tenho que ir...não..é sério... pára...preciso ir... não me olha assim...também te amo... beijos...te cuida!...

05/07/2010