terça-feira, 26 de julho de 2011

Estou no vidro, estou no quarto.
Estou no vidro do meu quarto.
Estou no meu retrato.
Estou no corpo de um homem
que já não é mais aquele do passado.

"Qual desses homens sou eu, refletido no espelho partido?"

Não! não tente me consertar, não estou quebrado!
Ora, me deixe... pois sou esse infinito de alma que você me vê.
Que se combina e se reprimem e se desfazem a todo instante i n c e s s a n t e m e n t e.

Também não, não sou triste, apenas coleciono minhas sobras e resto de ilusão
 que me fazem permanecer fora do chão.